logo-dnh-horizontal-negativo-0500

Cáritas divulga ações do ano de 2022

Um importante encontro preparado pela formação e pastoral vocacional de nossa diocese e para a vida de nossos seminaristas será dado no dia 6 de agosto, quando Dom João, nosso bispo, lhes conferirá os ministérios de leitor e acólito e, com a mesma celebração, dará a abertura do mês vocacional em nossa diocese. Dentro do Ano Vocacional que nosso país está vivendo, a celebração é um grande momento de unidade com a Igreja e celebração da resposta que nossa diocese dá à proposta da caminhada vocacional.

Entenda o que é cada um dos ministérios que serão conferidos neste ano aos quatro seminaristas.

MINISTÉRIO DE LEITOR

“O Leitor é instituído para a função que lhe é própria, de ler a palavra de Deus nas assembleias litúrgicas. Por isso mesmo, na Missa e nas demais acções sagradas, será ele a fazer as leituras da Sagrada Escritura (com excepção, porém, do Evangelho na falta do salmista, será ele a recitar o salmo entre as leituras; quando não houver diácono ou cantor, será ele a enunciar as intenções da oração universal; a dirigir o canto e a orientar a participação do povo fiel; a preparar os fiéis para a recepção digna dos Sacramentos. Poderá, além disso, na medida em que for necessário, ocupar-se da preparação de outros fiéis que, por encargo temporário, devam ler a Sagrada Escritura nas acções litúrgicas. Para poder desempenhar-se destas funções, cada vez com maior aptidão e perfeição, procure meditar com assiduidade a Sagrada Escritura” (cf. Ministeria Quaedam, n. V).

Serão instituidos leitores os seminaristas Jonas Erbes Pereira e Anderson Possamai.

MINISTÉRIO DE ACÓLITO

O Acólito é instituído para ajudar o Diácono e para servir o Sacerdote. É sua função, portanto, cuidar do serviço do altar; auxiliar o Diácono e o Sacerdote nas ações litúrgicas, sobretudo na celebração da Missa; distribuir, como ministro extraordinário, a Sagrada Comunhão, todas as vezes que os ministros de que se trata no cân. 845 do Código de Direito Canônico faltarem ou não o puderem fazer, por motivo de doença, de idade avançada ou do ministério pastoral, ou todas as vezes que o número dos fiéis que se aproximam da Sagrada Mesa for tão elevado, que possa vir a ocasionar uma demora excessiva da celebração da Missa. Pode ainda ser-lhe mandado, em circunstâncias extraordinárias, que exponha publicamente o Santíssimo Sacramento à adoração dos fiéis, e depois o reponha; não pode, porém, dar a bênção ao povo. Na medida em que for necessário, poderá também cuidar da instrução de outros fiéis que, por um encargo temporário, devam ajudar o sacerdote ou o diácono nas acções litúrgicas, levando o missal, a cruz, as velas, etc., ou exercendo outras funções deste género. Desempenhará mais dignamente estes ofícios, se participar na Santíssima Eucaristia, cada vez com uma piedade mais ardente, alimentando-se dela e procurando alcançar um conhecimento da mesma sempre mais profundo (cf. Ministeria Quaedam, n. VI).

Receberão o ministério de acólito os seminaristas Willian Botini Melo e João Antônio Ribeiro de Brito.

A celebração eucarística na qual será conferida cada ministério e aberto o mês vocacional, acontecerá na Catedral São Luiz Gonzaga, em Novo Hamburgo, no dia 6 de agosto, às 15h.

Autor(a): PASCOM NH

Direitos da Imagem: PASCOM NH

Tags

Leia também...